Senadores aplaudem lançamento de pacto pela infância

Fev 18 2013

pactoDurante sessão especial do Senado de lançamento oficial do 1º Pacto Global pela Cidadania da Infância, nesta quinta-feira (20), o senador Marconi Perillo (PSDB-GO) conclamou a sociedade a lutar por melhores dias para os jovens brasileiros, o que inclui educação com qualidade, uma boa alimentação e plena assistência à saúde, entre outros quesitos.

- O objetivo do Primeiro Pacto Global pela Cidadania da Infância é resgatar o sentido humanista da infância - resumiu.
Perillo disse ainda que o pacto - que, informou, foi assinado pelo presidente do Senado, Garibaldi Alves - "coloca a Casa à frente da luta por melhores dias para as nossas crianças".

O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) aproveitou a oportunidade para voltar a pedir uma educação de base com qualidade, destinada a atender todas as crianças do país. Para ele, sem prioridade para a educação, incluindo também o ensino médio, o país continuará a ser desigual e violento. Cristovam entende que o pacto pela infância representa um dos primeiros passos para que o país possa reverter a pirâmide da desigualdade social.
Já o senador Sérgio Zambiasi (PTB-RS) enalteceu o compromisso assumido pelo Senado de ser signatário do pacto que, notou, espelha uma série de condutas em prol da promoção do exercício da cidadania na infância pelas crianças entre seis e 13 anos de idade. Zambiasi também defendeu a adoção de políticas públicas de apoio à juventude, como educação de qualidade, lazer e entretenimento, a fim de que os jovens tenham uma vida saudável.

O senador Valdir Raupp (PMDB-RO) foi claro: investir nas crianças é investir no futuro do país. Para ele, se o país quer ter, mais tarde, homens e mulheres com cidadania consciente e exigente, é necessário que os jovens tenham todos os meios para que possam crescer com qualidade de vida.
Pela liderança do PSOL, o senador José Nery (PA) disse que não é possível tratar a infância de forma isolada, mas sim com ações articuladas entre a União, os estados e os municípios. A seu ver, as crianças têm que ter prioridade absoluta. Por isso, defendeu a criação de uma rede de proteção social para os jovens.
Os senadores Paulo Duque (PMDB-RJ) e Romeu Tuma (PTB-SP) também enalteceram a pacto pela cidadania da infância.